O Mar tem potencial para gerar novos postos de trabalho em Portugal

Esta é uma das principais conclusões da segunda edição do LEME – Barómetro PwC da Economia do Mar, considerando-se o mar uma excelente escola de talento e de criação de competências base que podem ser aproveitadas por toda a economia.
 

De acordo com o inquérito efectuado pela PwC, no âmbito do projecto LEME – Barómetro PwC da Economia do Mar, a diversas personalidades ligadas à economia do mar, conclui-se que o mar tem uma grande capacidade de gerar emprego em Portugal, sendo que 95% dos inquiridos considera que a capacidade empregadora do sector é razoável, boa ou muito boa.
 

Para além desta capacidade de gerar emprego, o mar é também uma escola de talento e de competências base. A grande maioria das personalidades inquiridas pela PwC (85%) considera que as pessoas que trabalham no mar têm características distintivas que resultam em excelentes competências de liderança, flexibilidade, trabalho em equipa e proactividade. O estudo conclui ainda que existem competências que se adquirem no contacto directo com o mar que podem ser aproveitadas na economia do mar, bem como em qualquer actividade económica.
 

De acordo com Miguel Marques, Economy of the Sea Executive Director da PwC, “Uma das conclusões do inquérito efectuado é que competências como a liderança, o trabalho em equipa, a flexibilidade e a proactividade são muito desenvolvidas nas pessoas que trabalham no mar, o que se explica pela complexidade do trabalho desempenhado, sem margem para errar, pelo contacto com diversas realidades e culturas, bem como pela excelência das escolas ligadas ao mar. Estas competências podem ser aproveitadas, não só pela economia do mar, como por todos os sectores da economia nacional.
De referir ainda que uma das causas apontadas para o desenvolvimento de competências de excelência no mar é que quem opera no mar está permanentemente sujeito a imprevistos e depende sempre de um elemento sobre o qual não tem controlo absoluto, esse mesmo mar.
É curioso que, tal como no mar, vivemos actualmente um período de grande imprevisibilidade na economia global. Talvez a Escola de Competências MAR, nos possa ajudar a aprender a sobreviver nesta nova realidade.”
 

Índice PwC da Economia do Mar

Após a queda verificada em 2009, o índice integrado da economia do mar em Portugal (de base 100 a 31 de Dezembro de 2008) recuperou ligeiramente durante 2010 (96,3), quando comparado com o valor registado em 2009 (94,8).

Esta recuperação deveu-se à subida do índice em vários sectores, nomeadamente:

  • à subida do índice do subsector dos Transportes Marítimos, Portos, Logística e Expedição (2009: 95,3; 2010: 104,0), devido ao aumento das exportações nacionais e à tendência de crescimento da contentorização;
  • ao aumento do índice de Entretenimento, Desporto, Turismo e Cultura (2009: 96,9; 2010: 99,3), relacionado com o crescimento do número de passageiros que visitam o país em cruzeiros.