Afinal, por onde vamos?

Apesar das recentes evidências de melhoria, a recuperação económica, a nível global, mantém-se ainda frágil.

Decorrente do último CEO Survey da PwC, verifica-se que os empresários e gestores estão mais otimistas e gradualmente ajustam os seus comportamentos, passando de um “modo de sobrevivência” para um “modo de crescimento”. Os resultados do 17º CEO Survey da PwC mostram-nos uma melhoria generalizada na confiança dos CEO e os resultados, embora ainda ténues, já existem.

Em 2013, as exportações de bens e serviços aumentaram em 5.7% e as importações registaram um ligeiro aumento (1.1%) – relativamente a 2012. Nos últimos quatro anos, as exportações nacionais passaram de um peso inferior a 30% do PIB, para um peso de cerca de 41% do PIB. Além disso, o saldo da balança comercial de bens e serviços foi positivo em 2013, invertendo a tendência de queda na última década.

As empresas são determinantes para a recuperação do nosso país. Portugal é hoje um país em mudança, das práticas e decisões seguidas pelos CEO portugueses começam a dar resultados. Estes são sinais que não devemos ignorar, representando sobretudo um presságio, aparentemente positivo, dos anos que se avizinham.