Skip to content Skip to footer
Pesquisar

A carregar resultados

Índices da Economia do Mar

Mergulhar no ‘Azul’: O valor de uma visão integrada

Estratégia para a execução

O LEME foi desenhado para ajudar governos, indústrias, decisores políticos e comunidades costeiras a caminhar no sentido de uma abordagem integrada, recolhendo informação e produzindo análises de tendências, como forma de suporte a planos de longo prazo. É crucial entender o mix de indústrias numa região, bem como os aspetos críticos presentes em cada indústria, antes de qualquer tomada de decisão.

Explore os dados

Zonas Económicas Exclusivas

Os países com maiores zonas económicas exclusivas têm um maior potencial de aproveitamento do extraordinário valor dos oceanos. Apresenta-se abaixo o ranking dos 25 países com maior zona económica exclusiva.

25 Principais Zonas Económicas Exclusivas, fevereiro de 2018 (em milhões de quilómetros quadrados)

Fonte: Marineregions.org

EUA 12,2 Brasil 3,7 Ilhas Marshall 2,0
França 10,1 Chile 3,7 Filipinas 1,8
Austrália 9,1 Kiribati 3,5 Portugal 1,7
Rússia 7,6 México 3,3 Ilhas Salomão
1,6
Reino Unido 6,8 F. E. Micronésia 3,0 África do Sul 1,5
Indonésia 6,0 Dinamarca 2,6 Seychelles 1,3
Canadá 5,7 Noruega 2,4 República da Maurícia 1,3
Nova Zelândia 4,1 Papua Nova Guiné 2,4    
Japão 4,0 Índia 2,3    

Transportes marítimos, portos e logística

Ao nível mundial, a taxa de crescimento do volume de importações e exportações de mercadorias cresceu significativamente entre 2016 e 2017.

A taxa de crescimento das exportações de mercadorias era de 1,8% e, em 2017, passou para 4,7%. A taxa de crescimento das importações de mercadorias foi igual à taxa de crescimento das exportações, em 2016 era de 1,8% e passou para 4,7%. Este crescimento da taxa de crescimento das exportações e das importações entre 2016 e 2017 deve-se essencialmente ao crescimento verificado nas economias em desenvolvimento.

Exportações

Países/Regiões

Importações

2015

2016

2017

 

2015

2016

2017

2,5%

1,8%

4,7%

Mundo

2,5%

1,8%

4,7%

2,3%

1,1%

3,5%

Economias desenvolvidas

4,3%

2,0%

3,1%

2,4%

2,3%

5,7%

Economias em desenvolvimento

0,6%

1,9%

7,2%

0,8%

0,6%

4,2%

América do Norte

5,4%

0,1%

4,0%

1,8%

1,9%

2,9%

América Latina e Caraíbas

-6,4%

-6,8%

4,0%

2,9%

1,1%

3,5%

Europa

3,7%

3,1%

2,5%

1,5%

2,3%

6,7%

Ásia

4,0%

3,5%

9,6%

5,5%

2,6%

2,3%

África, Ásia Ocidental e Economias em transição

-5,6%

0,2%

0,9%

Fonte: UNCTAD - Review of Maritime Transport 2018
Nota: Informação sobre volumes comercializados são derivados de valores deflacionados pelos índices da UNCTAD.

Comércio internacional marítimo, para os anos selecionados (milhões de toneladas carregadas)

Nota: Os dados referem-se ao total da frota com capacidade de transporte de contentores, incluindo multiusos e outros navios com algum grau de capacidade de transporte de contentores. O crescimento da procura é baseado em milhões de TEU. Os dados para 2017 são valores previstos.


Construção naval, manutenção e equipamento

Os pedidos em carteira nos estaleiros navais registaram um crescimento entre 2003 e 2008 sendo que a partir desse período, até 2012, decresceram. Entre 2013 e 2015, esta tendência inverteu-se, no entanto, a partir de 2016 voltou a decrescer, tendo aumentado ligeiramente em 2018.

Resumo da atividade nos estaleiros do mundo (milhares de CGT)

   

Carteira de encomendas por tipos de navios, 31 de dezembro 2018

No final de 2018, cerca de 46% das encomendas de navios referem-se a navios de transporte de granéis sólidos, imediatamente seguidos pelas encomendas de tanques para transporte de crude (petroleiro) cerca de 23%.


Energia Offshore

Em 2018, a Arábia Saudita (10%), Qatar (8,8%) e Noruega (8,2%) foram os três principais produtores de petróleo e gás offshore.

Top 10 de países produtores de Petróleo e Gás Offshore (milhões de bbl)

Pais 2015 2016 2017 2018
Arábia Saudita 1.511,07 1.643,54 1.532,95 1.630,71
Qatar 1.420,07 1.406,34 1.416,17 1.409,62
Noruega 1.322,54 1.334,52 1.370,09 1.318,59
Irão  881,04 989,77 1126,36 1.270,89
Brasil 927,68 959,17 1026,86 1.007,97
EUA 817,47 831,08 839,43 845,90
EAU 643,17 671,7 656,72 705,79
México 784,37 746,12 693,68 651,94
Austrália 410,9 438,28 527,18 625,83
Reino Unido  561,98 574,54 568,4 600,82

   

Principais países com capacidade instalada em termos de eólica offshore

A capacidade de energia eólica offshore no mundo é liderada por três países (Reino Unido, Alemanha e China), os quais representam 81,81% da capacidade total instalada acumulada no mundo. Em quarto lugar, a Dinamarca representa 5,74% dessa mesma capacidade.

    


Segurança naval, pirataria e desastres marítimos

Em 2019, o país com maior número de equipamentos navais de grande porte (porta aviões, fragatas, destroyers, corvetas e submarinos) é a China com 204, imediatamente seguida pelos EUA com 197. A Rússia ocupa o terceiro lugar com 165 equipamentos navais de grande porte.

Principais países em termos de frotas navais de guerra (Soma do número de porta-aviões, fragatas, destroyers, corvetas e submarinos)

Em 2018, a Nigéria foi o país que registou maior número de ataques de piratas (24%). 

Principais localizações de ataques de piratas (2011 – 2018)
Prinicipais localizações de ataques de piratas (2011-2018)

 

2011

2012

2013

2014

2015

2016

2017

2018

Indonésia

46

81

106

100

108

49

43

36

Malásia

16

12

9

24

13

7

7

11

Estreito de Singapura

11

6

9

8

9

2

4

3

Filipinas

5

3

3

6

11

10

22

10

Outros Ásia

2

2

1

3

6

-

-

-

Sudeste Asiático

 

2011

2012

2013

2014

2015

2016

2017

2018

Mar do Sul da China

13

2

4

1

-

-

-

-

Vietname

8

4

9

7

27

9

2

4

Outros Extremo Oriente

2

1

0

0

4

7

2

3

Extremo Oriente

 

2011

2012

2013

2014

2015

2016

2017

2018

Bangladesh

10

11

12

21

11

3

11

12

Índia

6

8

14

13

13

14

4

6

Subcontinente Indiano

 

2011

2012

2013

2014

2015

2016

2017

2018

Brasil

3

1

1

1

-

-

-

4

Colômbia

4

5

7

2

5

4

6

1

Equador

6

4

3

0

-

-

2

4

Guiana

1

0

2

1

-

2

1

2

Haiti

2

2

0

0

2

4

1

3

Peru

2

3

4

0

-

11

2

4

Venezuela

4

0

0

1

1

5

12

11

Outros América do Sul

3

2

1

0

0

1

0

0

América do Sul

 

2011

2012

2013

2014

2015

2016

2017

2018

Benim

20

2

0

0

0

1

0

5

Egito

3

7

7

0

1

0

0

0

Guiné

5

3

1

0

3

3

2

3

Golfo de Áden a

37

13

6

4

0

1

3

1

Costa do Marfim

1

5

4

3

1

1

1

1

Nigéria

10

27

31

18

14

36

33

48

Mar Vermelho a

39

13

2

4

0

0

1

0

Somália a

160

49

7

3

0

1

5

2

Togo

6

15

7

2

0

1

0

1

Congo

3

4

3

7

5

6

1

6

Outros África

11

12

11

16

12

13

15

20

Nota: Todos os ataques assinalados com "a" são atribuídos a piratas da Somália.

África


Pescas e Aquacultura

Entre 2004 e 2016, num cenário de crescimento da população mundial, verificou-se um aumento do consumo de pescado e de restantes produtos alimentares do mar per capita. Em 2004, o consumo per capita era de 16,2 kg, tendo passado para um consumo per capita de 20,4 kg em 2016. Este aumento do consumo per capita foi conseguido pelo aumento da produção em Aquacultura. A produção em Aquacultura interior e marinha, em 2004, atingiu, respetivamente, cerca de 27,8 e 18,1 milhões de toneladas, enquanto que, em 2016, atingiu uma produção de 51,4 e 28,7 milhões de toneladas. As capturas de pescado no mar embora continuem a representar o maior contributo no fornecimento de peixe, não têm crescido nos últimos anos, apresentando uma redução entre 2015 e 2016.

Captura total, total de aquacultura e pesca total mundial (milhões de toneladas)

   

Captura marinha: principais países produtores (milhões de tonelada)

  

Produção de aquacultura por região: quantidade da produção total mundial 
Produção total de animais aquáticos Quota
Produtor 2010 2012 2014 2016 2016
China 36.734 41.108 45.469 49.244  62%
Índia 3.786 4.210 4.881 5.700 7%
Indonésia 2.305 3.068 4.254 4.950 6%
Vietname 2.683 3.085 3.397 3.625  5%
Bangladesh 1.309 1.726 1.957 2.204 3%
Noruega 1.020 1.321 1.333 1.326 2%
Egito 920 1.018 1.137 1.371 2%
Chile 701 1.071 1.215 1.035 1%
Top 8 subtotal 49.458 56.607 63.643 69.455 87%
Resto do Mundo 9.504 9.859 10.141 10.576 13%
Mundo 58.962 66.466 73.784 80.031 100%

Entretenimento, desporto, turismo e cultura

O volume de negócios associado à atividade de cruzeiros aumentou consistentemente entre 2009 e 2015. Após uma correção em baixa em 2016, voltou a crescer em 2017. 

Receita da indústria de cruzeiros a nível mundial, 2008-2017 (mil milhões de USD) 

   

Distribuição de passageiros por região de destino

   


Telecomunicações

A Indonésia é o país com maior número de pontos intermédios de cabos submarinos do mundo (12%), logo seguido pelos Estados Unidos da América (11%). 

Principais países com ligações de cabos submarinos (por número de pontos intermédios)

País Número
Indonésia  125
EUA 117
Reino Unido  88
Noruega 34
Dinamarca 30
Filipinas 30
Japão 22
Espanha 22
Bahamas 19
Suécia 19
Brasil 17
Polinésia Francesa 17
Austrália 16
China 16
Papua Nova Guiné 16
Portugal 15

Fonte: Submarine Cable Map


Biotecnologia Azul

As Américas constituem a região com maior quota global no que respeita à biotecnologia azul, com mais de 40% do mercado.

Quotas de mercado em biotecnologia azul, por região (2018)
Siga-nos