Skip to content Skip to footer
Pesquisar

A carregar resultados

Cabo Verde – Orçamento do Estado para 2022: principais medidas fiscais

03/01/22

Em resumo

A Lei n.º 4/X/2021, de 31 de dezembro, que entrou em vigor a 1 de janeiro de 2022, aprovou o Orçamento do Estado para 2022 (OE2022). Destacam-se a manutenção, em 2022, de diversos incentivos fiscais em sede de IRPC, IVA e outros impostos indiretos, assim como a introdução do regime especial do IVA no comércio eletrónico.

I - Programa Start-up Jovem

São mantidos em 2022 os incentivos fiscais aplicáveis às empresas enquadradas no Programa Start-up Jovem, nomeadamente:

  • Taxa de Imposto sobre o Rendimento das Pessoas Coletivas (IRPC) de 2,5%, aplicável nos primeiros 5 anos de atividade, contados a partir de 1 de janeiro de 2022, no caso de empresas que prossigam atividades de tecnologias da informação (TIC) e de investigação e desenvolvimento (I&D), independentemente da localização da sede ou direção efetiva;
  • Taxa de IRPC de 5%, aplicável nos primeiros 5 anos de atividade, contados desde 1 de janeiro de 2022, para as restantes empresas elegíveis;
  • Dedução à coleta do IRPC de 50% no caso de empresas elegíveis cuja direção efetiva esteja situada fora das localidades dos concelhos da Praia, São Vicente, Sal e Boa Vista (excluem-se as TIC e as I&D);
  • Isenção de direitos aduaneiros, Impostos sobre Consumos Especiais (ICE) e do IVA na importação de um veículo de transporte de mercadorias, com até 3 lugares da cabine, incluindo condutor, com idade não superior a 5 anos, destinados exclusivamente ao exercício da atividade;
  • Isenção de direitos na importação de matérias-primas e subsidiárias, materiais e produtos acabados e semiacabados destinados a incorporação em produtos fabricados no âmbito de projetos industriais desde que estejam certificadas e inscritas no Cadastro Industrial, durante a fase de instalação, ampliação ou remodelação;
  • Isenção de Imposto de Selo nos contratos de financiamento para o desenvolvimento das suas atividades;
  • Redução de 50% dos emolumentos devidos por atos notariais e de registo resultante da compra e venda de imóveis para as suas instalações.

As empresas elegíveis beneficiam também dos incentivos previstos nos artigos 13.º (isenção de Imposto Único sobre o Património – IUP), 15.º (isenção de direitos aduaneiros) e 34.º (criação de emprego), todos do Código do Benefícios Fiscais, bem como dos incentivos previstos no OE2022 e aplicáveis às entidades empregadoras que contratem jovens. As empresas elegíveis estão sujeitas ao pagamento da tributação autónoma nos termos do Código do IRPC.

II – Dedução à coleta de IRPC por financiamento de empresas

São mantidos em 2022 os incentivos concedidos a sociedades residentes, ou de sociedades não residentes com estabelecimento estável em Cabo Verde, que realizem entradas de capital em dinheiro a favor de:

  • Empresas elegíveis enquadradas no Programa Start-up Jovem;
  • Empresas sediadas em território municipal com a média do PIB per capita, nos últimos três anos, inferior à média nacional;
  • Micro e pequenas empresas.

As empresas financiadoras podem deduzir parte das referidas entradas até o limite de 2% da coleta apurada no ano anterior, verificados que estejam os requisitos previstos na lei do OE2022. Este benefício não é cumulativo com o benefício à remuneração convencional do capital social, previsto no artigo 22.º do Código dos Benefícios Fiscais.

III – Dedução à coleta por contratação de estagiários e de desempregados

São mantidos em 2022 os incentivos à contratação de estagiários e de desempregados, traduzidos numa dedução à coleta de 20.000 CVE em benefício de sujeitos passivos de IRPC e de pessoas singulares com contabilidade organizada, nos termos seguintes:

  • Por cada estagiário contratado por um período mínimo de 6 meses;
  • Por cada desempregado contratado por um período mínimo de 12 meses.

IV – Majoração em IRPC de gastos com aquisição de equipamentos e software de contabilidade e faturação

Mantém-se em 2022 a majoração, em IRPC, de 30% dos gastos realizados com:

  • A aquisição de equipamentos e software de contabilidade e faturação no processo de adesão à faturação eletrónica e instalação de Standard Audit File for Tax purposes (SAFT)-CV;
  • A migração de software, formação e parametrização dos sistemas e certificado digital relacionados com a adesão à faturação eletrónica e instalação de SAFT-CV.

V – Majoração em IRPC de gastos com aquisição de água e eletricidade

Os sujeitos passivos de IRPC enquadrados no regime de contabilidade organizada podem majorar em 30% os gastos com a aquisição de água e eletricidade.

VI – Isenção de contribuições sociais na contratação de jovens para primeiro emprego

Mantém-se em 2022 a isenção de contribuições sociais a cargo da entidade empregadora que contrate jovens para primeiro emprego. Este benefício é aplicável a pessoas coletivas, bem como a pessoas singulares enquadradas no regime de contabilidade organizada, que contratem jovens com idade não superior a 37 anos para o primeiro emprego, devendo estar preenchidos os demais requisitos previstos na Lei do OE2022.

VII – Isenções e reduções de IVA, Impostos sobre Consumos Especiais (ICE) e direitos de importação na importação de veículos

São mantidos, em 2022, os seguintes incentivos:

  • Isenção de ICE e taxa reduzida de 5% de direitos de importação sobre veículos ligeiros de passageiros novos para exploração exclusiva do serviço de táxis;
  • Isenção de IVA e de ICE, e taxa reduzida de 5% dos direitos de importação sobre:
    • Veículos pesados de transporte coletivo de passageiros;
    • Veículos ligeiros de passageiros em estado novo destinados ao transporte executivo;
    • Veículos pesados de passageiros destinados ao transporte exclusivo de turistas e bagagens;
  • Isenção de IVA, de ICE, de direitos de importação e da taxa de parqueamento sobre veículos elétricos, incluindo o equipamento em estado novo destinado à respetiva recarga.

 

I – Taxa reduzida de IVA no consumo de eletricidade e água

A taxa de IVA no fornecimento de eletricidade e de água aos consumidores finais passa a ser de 8% (anteriormente, 15%). Esta taxa aplica-se aos factos ocorridos a partir de 1 de janeiro de 2022, sem prejuízo das regras de exigibilidade do IVA previstas no artigo 8º do Código do IVA.

II – Alterações ao Código do IVA

 Entre outras, foram introduzidas as seguintes alterações:

- Emissão de faturas

(i) Elementos a constar das faturas

Além dos elementos já previstos no n.º 5 do artigo 32.º do Código do IVA, em matéria de emissão de faturas, estas passam a incluir os seguintes elementos:

  • A data em que os bens foram colocados à disposição do adquirente, os serviços foram realizados ou em que foram efetuados pagamentos anteriores à realização das operações, se essa data não coincidir com a data da emissão da fatura;
  • Os designados “Local de Emissão do Documento” e a “Unidade de Medida”, bem como os códigos fiscais e aduaneiros de operações, prestações e de produtos, nos termos definidos por membro do Governo responsável pela área das finanças.

(ii) Emissão de faturas por via eletrónica

As faturas e documentos retificativos passam a ser obrigatoriamente emitidos por via eletrónica, quando determinado por diploma próprio.

(iii) Rendimentos prediais

As faturas, fatura-recibo ou recibo relativos a rendimentos prediais, tal como definidos no Código do IRPS, devem ser emitidos numa série especial de faturação, devendo incluir diversos elementos obrigatórios, entre outros, a identificação do imóvel, bem como o tipo, a finalidade, o valor e a periodicidade da renda.

- Emissão de talões de venda ou de serviço prestado em caso de dispensa da obrigação de faturação

Além dos elementos já previstos no n.º 3 do artigo 36.º do Código do IVA, os talões de venda ou de serviço prestado a emitir em caso de dispensa da obrigação de faturação passam a incluir os seguintes elementos:

  • A identificação da série a partir da qual o documento foi emitido;
  • A data em que os bens foram colocados à disposição do adquirente, os serviços foram realizados ou em que foram efetuados pagamentos anteriores à realização das operações, se essa data não coincidir com a data da emissão do documento;
  • Os designados “Local de Emissão do Documento” e a “Unidade de Medida”, bem como os códigos fiscais e aduaneiros de operações, prestações e de produtos, nos termos definidos por membro do Governo responsável pela área das finanças;
  • O número de identificação fiscal do adquirente, quando este o solicite; esta indicação é obrigatória no caso de vendas ou serviços prestados de montante igual ou superior a 20.000 CVE.

Os talões de venda ou de serviço prestado passam a ser obrigatoriamente emitidos por via eletrónica, quando determinado por diploma próprio.

- Arquivo de documentos emitidos por via eletrónica

Os documentos de suporte à contabilidade emitidos por via eletrónica devem ser conservados e arquivados nos termos do Regime Jurídico das faturas eletrónicas e os documentos fiscalmente relevantes eletrónicos, aprovado pelo Decreto-Lei n.º 79/2020, de 12 de novembro.

III – Regime Especial do IVA no comércio eletrónico

Foi aprovado o regime especial do IVA no comércio eletrónico, aplicável às operações de comércio eletrónico internacional, realizadas em território nacional pelos sujeitos passivos que integram a lista de grandes operadores do comércio eletrónico a elaborar pelo Ministério das Finanças.

O regime agora aprovado especifica o que se entende por operações de comércio eletrónico internacional, definindo regras de localização, facto gerador, obrigações de registo e declaração, taxa aplicável, pagamento do imposto, regime supletivo aplicável em caso de não se proceder a registo, bem como regras aplicáveis às instituições financeiras que processem pagamentos aos grandes operadores a que se aplique o regime supletivo.

IV – Taxa específica sobre o tabaco

É devida por cada maço de cigarro uma taxa específica de CVE 70.

V – Alterações à Pauta Aduaneira Comum

A Pauta Aduaneira Comum foi alterada nos seguintes termos:

  • Aumento das taxas de direitos de importação sobre diversos bens;
  • Introdução de taxas específicas de ICE sobre importação de bebidas alcoólicas e sobre veículos novos e veículos usados até 4 anos.




© 
2022 PwC. Esta comunicação é de natureza geral e meramente informativa, não se destinando a qualquer entidade ou situação particular, e não substitui aconselhamento profissional adequado ao caso concreto. A PricewaterhouseCoopers Tax Services TLS, Lda. não se responsabilizará por qualquer dano ou prejuízo emergente de decisão tomada com base na informação aqui descrita.
 

Contacte-nos

Rosa Areias

Rosa Areias

Tax Lead Partner, Membro da Comissão Executiva, PwC Portugal

Tel: +351 225 433 101

Leendert Verschoor

Leendert Verschoor

Partner, PwC Portugal

Tel: +351 917 887 221

Susana Caetano

Susana Caetano

Director, PwC Portugal

Tel: +351 213 599 610

Francisco  Raposo Magalhães

Francisco Raposo Magalhães

Manager, PwC Portugal

Tel: +351 213 599 618

Siga-nos