COVID-19 – IVA e Segurança Social: Adiamento de prazos de pagamento

23/11/20

Em resumo

O Decreto-Lei n.º 99/2020, de 22 de novembro, aprovou o regime extraordinário de diferimento de obrigações fiscais e contributivas relativas aos meses de novembro e dezembro de 2020.


Em detalhe

O Decreto-Lei n.º 99/2020, de 22 de novembro, aprovou o regime extraordinário de diferimento de obrigações fiscais e contributivas relativas aos meses de novembro e dezembro de 2020.

 

I - IVA

Diferimento do pagamento do IVA devido em novembro de 2020 para sujeitos passivos classificados como micro, pequena ou média empresa, enquadrados no regime trimestral de IVA:

  • Podem proceder ao pagamento do imposto apurado até ao dia 30 de novembro; ou,
  • Em três ou seis prestações de valor igual ou superior a 25 Euros:
    • Mediante apresentação de requerimento eletrónico, apresentado até ao termo do prazo de pagamento voluntário sem juros e sem necessidade de apresentação de garantia;
    • A primeira prestação deve ser efetuada na data normal do cumprimento da obrigação de pagamento;
    • As prestações subsequentes devem ser efetuadas nos meses seguintes, na data normal de cumprimento da obrigação de pagamento;
  • Podem beneficiar desta medida os sujeitos passivos:
    • classificados como micro, pequena e média empresa de acordo com o disposto no artigo 2.º do anexo ao Decreto-Lei n.º 372/2007, de 6 de novembro, devendo esta classificação ser efetuada por certificação de revisor oficial de contas ou contabilista certificado; 
    • que tenham reiniciado atividade em ou após 1 de janeiro de 2019, quando não tenham obtido volume de negócios em 2018.

 

II – Contribuições para a Segurança Social

Diferimento das contribuições sociais devidas em novembro e dezembro de 2020

  • Os pagamentos das contribuições sociais relativas aos meses de novembro e dezembro de 2020 podem ser realizados em 3 ou 6 prestações mensais de igual montante e sucessivas, a iniciar em julho de 2021, não sendo devidos juros;
  • Podem beneficiar desta medida:
    • Trabalhadores independentes;
    • Entidades empregadoras, dos setores privado e social classificadas como micro, pequenas e médias empresas, consoante disponham, respetivamente, de:

§  Menos de 10 trabalhadores;

§  Entre 10 e 49 trabalhadores;

§  Entre 50 e 249 trabalhadores.

  • O diferimento do pagamento das contribuições devidas pelas entidades empregadoras encontra-se limitado às contribuições da responsabilidade da entidade empregadora.
  • Para beneficiar do referido diferimento não é necessário apresentar qualquer requerimento. No entanto, em fevereiro de 2021, a entidade empregadora e os trabalhadores independentes devem indicar através da Segurança Social Direta o prazo de pagamento escolhido – 3 ou 6 meses;
  • O incumprimento dos requisitos de acesso ao diferimento do pagamento das contribuições sociais devidas ou a falta de pagamento de uma das prestações, implica a cessação dos benefícios atribuídos, vencendo-se a totalidade das prestações em falta e cessando a isenção de juros.




© 
2020 PwC. Esta comunicação é de natureza geral e meramente informativa, não se destinando a qualquer entidade ou situação particular, e não substitui aconselhamento profissional adequado ao caso concreto. A PricewaterhouseCoopers Tax Services TLS, Lda. não se responsabilizará por qualquer dano ou prejuízo emergente de decisão tomada com base na informação aqui descrita.
 

Contacte-nos

Rosa Areias

Rosa Areias

Tax Lead Partner, Membro da Comissão Executiva, PwC Portugal

Tel: +351 225 433 101

Susana Claro

Susana Claro

Partner, PwC Portugal

Tel: +351 213 599 601

Leendert Verschoor

Leendert Verschoor

Partner, PwC Portugal

Tel: +351 917 887 221

Ana Duarte

Ana Duarte

Director, PwC Portugal

Tel: +351 213 599 671

Hugo  Salgueirinho Maia

Hugo Salgueirinho Maia

Director, PwC Portugal

Tel: +351 225 433 135

Siga-nos